13/06/2014 Número de leitores: 1325

Um livro legal e esquisito

Cláudio Fragata Ver Perfil


Mas o que é isso? Um navio? Uma nave espacial? Uma máquina maluca? No começo, você pode achar esquisitas as ilustrações do livro Estava escuro e estranhamente calmo. Tudo bem. Elas são mesmo esquisitas e aí é que está a graça. Aos poucos, você entra no fantástico mundo inventado pelo ilustrador alemão Einar Turkowski e não quer sair mais. 


A história também foi escrita por ele e é tão surreal quanto as imagens e cheia de situações non sense. Sabe o que é? São situações sem pé nem cabeça que causam riso e surpresa. O mistério já começa do título e continua a cada página. E começa com o desembarque de um homem numa ilha perdida no oceano. Ninguém sabe de onde ele veio e o que quer. 


Os moradores ficam de olho. Usam até lunetas e telescópios para não perder um movimento sequer do recém-chegado. Coisas misteriosíssimas acontecem, mas ninguém encontra uma explicação. Principalmente para os peixes que aparecem pendurados de cabeça para baixo na casa abandonada que o homem passa a habitar. Muito legal a editora Cosac Naify lançar o livro do Turkowski no Brasil. Em 2007, ele ganhou o Grand Prix da Bienal de Ilustração de Bratislava, que é um baita prêmio importante. Agora, o cara está entre os maiores autores da literatura infanto-juvenil da atualidade e não é só por causa do prêmio. Ele é bom pra caramba.





Estava escuro e estranhamente calmo
Autor: Einar Turkowski

Editora: Cosac Naify, capa dura, 24 páginas 


Cláudio Fragata