21/09/2006 Número de leitores: 729

As neves do Kilimanjaro

Adrienne Myrtes Ver Perfil

Por Adrienne Myrtes

 

 

Existem assuntos que se impõem a nós.

Preciso dizer.

Quando o assunto é música, modéstia à parte, eu não entendo lhufas e minha ignorância me liberta.

Fico solta para amar ou desamar.

 

Quem ama nunca sabe o que ama, nem porque ama.

Tampouco entende o que é o amor.

 

Se o amor foi inventado pra ser sentido, a música também.

Não há sentido em explicar.

Ainda preciso dizer.

Existem assuntos que não são assuntos, nem imposição. São neves derretendo sobre uma carcaça de leopardo. São sons ouvidos pela primeira vez.

Ouvir a música de Manu Maltez e do Grupo Cardume foi amor à primeira vista. Visão turva. Olhos de felino que não sabe o que procura.

 

Um som que chegou de repente, arrastando ruas cortadas por semáforos indecisos.

Amarelos, vexados.

Solidão ou solitude?

 

?Sorrindo pra mim mesmo eu não preciso

de ninguém

apenas da cidade populosa?

 

Tristeza distraída de quem espera a cidade se diluir no fim da chuva. No fim-do-mundo.

No começo dos acordes.

 

Nenhuma música preenche os ouvidos da mesma pessoa duas vezes.

Preciso dizer.

Não há mais nada a ser dito.

É preciso ouvir.

 

?De repente a lua caiu

bem no meio da rua

e o que era doce sangrou um pouco?

 

 


 

 

Contatos: manumaltez@uol.com.br

Adrienne Myrtes