Nós os "trouxas" e eles os "espertos"

PAULO MONTEIRO

PAULO MONTEIRO
10/06/17

Nós os "trouxas" e eles os "espertos"
Se conseguirmos superar esse estágio tribal inicial de mesquinha confrontação e revanchismo a que somos levados pelo engajamento por motivos errôneos (como, por exemplo, acreditar que o nosso partido é idôneo e limpo, quando já sabemos que nenhum partido no Brasil o é) e pelo orgulho ferido e pararmos de defender cegamente os políticos e partidos de nossa preferência, contra todas as evidências em contrário, e desistirmos de revidar infantilmente, apenas apontando exemplos similarmente incriminadores aos oponentes, quando sequer aceitamos em nosso íntimo os exemplos que mancham de forma inegável as nossas escolhas políticas, poderemos finalmente estar unidos nesse quesito e ter a força necessária para exigir as mudanças profundas que são necessárias e que jamais lograremos alcançar enquanto estivermos divididos.