Café Literário Cronópios
=

Traduções
por Rodrigo Garcia Lopes






 

Manifestos: 1964-2010, Claudio Willer
por Divulgação


Celuzlose 10 na rede
por Divulgação


Curso de adaptação literária para cinema terá como professor roteirista da RAI
por Portal Cronópios


Publicação investiga poética de Dominique Gonzalez-Foerster
por Divulgação


Começam os Encontros com Autores e Ideias na Biblioteca de São Paulo
por Divulgação


Cineasta Sylvio Back é eleito membro do Pen Clube do Brasil
por Divulgação


História da Caricatura Brasileira
por Divulgação


80 desenhos de Guto Lacaz
por Divulgação


Academia Taguatinguense de Letras comemora 26 anos
por Divulgação


Pauliceia de mil dentes, de Maria José Silveira
por Divulgação


Canções para ninar adultos, de Fred Di Giacomo
por Divulgação


Lestics convida os cronopianos para show de lançamento do novo álbum
por Divulgação


Epidermias, de Ângela Castelo Branco
por Divulgação


História do Brasil vira-lata: razões históricas da tradição auto depreciativa brasileira
por Divulgação


Site e livro registram as experiências artísticas de movimento cultural goianense
por Divulgação


Editora Patuá lança outros três títulos de cronopianos
por Divulgação


Exposição de Constança Lucas no MAC
por Divulgação


Seminário MEMORAT 2012
por Divulgação


Cantos de Contar, relançamento de Alberto da Cunha Melo
por Divulgação


Natalia Barros lança livro em show no Rio de Janeiro
por Divulgação





 
08/06/2008 18:30:00
BLOOMSDAY 2008 de Florianópolis


da Redação

 

O Bloomsday, o Dia de Bloom, homenageia o escritor irlandês James Joyce e, por extensão, a arte moderna e contemporânea, pois consiste num evento cultural no qual literatura, teatro, música, artes visuais etc. dialogam livremente. O Dia de Bloom é comemorado em várias cidades do mundo e do Brasil, sempre no dia 16 de junho, relembrando a data em que o senhor Bloom, o “herói” contemporâneo, perambulou durante várias horas pela cidade de Dublin, símbolo do nosso cosmo, no romance Ulisses. Em Florianópolis, o evento já acontece há seis anos, sob a coordenação de Sérgio Medeiros e Dirce Waltrick do Amarante, ambos membros do Nelool (UFSC). Desde 2007, o crítico e escritor Victor da Rosa integra a equipe que organiza o evento.

 

No dia 16 de junho, o Bloomsday de Florianópolis celebrará o “corpo” humano e/ou inumano, pois “O homem é o corpo, absolutamente, ou não será nada” (Nancy). No romance Ulisses, o senhor Bloom se expõe e se exila, é o corpo “sem pés nem cabeça” (aphalle et acéphale) de que fala o filósofo Jean-Luc Nancy, o corpo estrangeiro do estrangeiro (Bloom é um judeu irlandês), pois o corpo é o estrangeiro, é expropriado, o corpo espaça-se, o corpo expele-se, de igual modo.

 

O romance Ulisses dará seu sangue e seus órgãos ao Bloomsday de 2008, mas também o romance Finnegans Wake contribuirá com sua pele e sua alma. Assim, as duas grandes obras de Joyce serão homenageadas e evocarão juntas “o corpo 100 órgãos” da cosmologia joyciana.

 

A seguir, a programação oficial do Bloomsday 2008, que acontecerá no dia 16 de junho, segunda-feira, às 19 horas, no Centro Cultural Arquipélago, Rua Idalina Pereira dos Santos, 81, Agronômica (perto do CIC), Florianópolis.

 

 

 

PRIMEIRA PARTE: PELE E ALMA

 

  Abertura, por Sérgio Medeiros

. A pele e o esqueleto: instalações, por Fernando Lindote e Camila Barbosa

. Reescritura de Ulisses e de Finnegans Wake, obra coletiva (com a participação de todos os presentes)

. O cemitério: leitura de trecho de Ulisses referente ao cérebro, por Fábio Corrêa

.Leitura de trechos da obra de Ana Hatherly, “Joyciana: Anaviva e Plurilida – 23 variações sobre fragmentos de Finnegans Wake de James Joyce”, por Dirce Waltrick do Amarante e Alai Garcia Diniz.

 

 

SEGUNDA PARTE: SANGUE E ÓRGÃOS

 

. Sangue: improvisações no piano, por Diogo de Haro

. Coração e pulmão: leitura de um conto de Silveira de Souza, pelo autor, e leitura de uma fábula do escritor mexicano Juan José Arreola, por Byron Vélez

. As ruas: leitura de um trecho de Ulisses referente ao sangue, por Alai Garcia Diniz, e de um trecho de Corpus, de Jean-Luc Nancy, por Victor da Rosa

. Confraternização e encerramento com variedades de cervejas e um leilão de performances do Grupo ERRO.

 

 

 

 

Apoio: Centro Cultural Arquipélago e o site de arte e cultura www.centopeia.net